Seguro: pagar pra talvez nunca usar ou não pagar?

Como são muitas opções, vamos focar em seguro de vida e de carro, ok? Bom, em linhas gerais, é sempre bom ter seguro. Claro que, como eu sempre digo, em finanças não existe “receita de bolo”, mas eu não recomendaria que você não tivesse. Ah! Mas eu posso nunca usar!? Sim, mas e se você precisar? E geralmente a gente precisa quando a gente menos tem condição. Algumas coisas não podemos prever, como um acidente de carro, por exemplo. Com seguro, a dor de cabeça certamente será bem menor do que se você não o tiver. Em caso de um acidente com óbito, sua família não fica desprotegida. Entendem? Infelizmente, precisamos entender que alguns tipos de investimento são necessários mesmo se não enxergarmos o retorno imediato de cada um deles. Inclusive, no caso dos seguros de vida, existe a opção de seguro resgatável, com cobertura de 10, 20 ou 30 anos, ou seja, retirar o valor pago durante aquele tempo corrigido pela inflação, bom negócio como investimento? Não, mas como seguro sim. Enfim, é melhor ter e nunca usar do que não ter e precisar. Na maioria dos casos, a segunda opção pode sair mais cara.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.