Por que é melhor investir em uma cooperativa?

A taxa de serviço de um correntista simples em banco custam em média 30 reais, enquanto em algumas cooperativas este custo é zero ou a taxa cobrada, é um  investimento na economia. Ou seja, te cobram 10 reais,  mas este dinheiro entra como investimento, ele rende e é seu.

Não vou comparar o tipo de investimento em si e sim, a média de rentabilidade. Se considerarmos um bem tradicional, como CDB (Certificado de Depósito Bancário) que no caso das Cooperativas a sigla é RDC (Recibo de Depósito Cooperativo), enquanto os bancos te pagam 95% do CDI as cooperativas pagam 115%, por exemplo. E as contas são 100% da taxa Selic.

Lembrando que o RCD é o único similar ao CDB.

Tanto os bancos como as cooperativas de crédito são instituições financeiras reguladas pelo Banco Central. Mas, existem algumas diferenças que precisam ser consideradas quando falamos de investimento.

Os bancos são sociedades de capital. O usuário é um cliente. Quem tem mais poder/ações é que manda. Na tomada de decisões, o usuário não influencia nos produtos ou na precificação. Os bancos crescem por meio de competição.

As cooperativas são sociedades de pessoas. O usuário é um associado, um dos donos. Cada associado tem um voto e todos os votos têm o mesmo valor. Na tomada de decisões, todos participam da decisão da política operacional.  As cooperativas se desenvolvem por cooperação mútua.

Por que é melhor investir em uma cooperativa?

O objetivo primário dos bancos é o lucro, enquanto as cooperativas visam administrar os recursos financeiros dos associados de forma que todos tenham alguma vantagem. Sendo assim, os preços e taxas dos bancos são superiores, uma vez que visam o lucro. Nas cooperativas você consegue preços até 20% menores, considerando somente os custos e necessidades de reinvestimento. Por isso, a remuneração das cooperativas são maiores para depósitos a prazo, por exemplo, já que sua estrutura de custo é mais enxuta do que a de um banco.

Os resultados de um rendimento positivo são distribuídos entre todos os associados, de acordo com suas respectivas participações em uma cooperativa, enquanto nos bancos, o lucro é dividido entre os acionistas. E por fim, os bancos não priorizam investimentos locais, enquanto as cooperativas retêm recursos em sua área contribuindo para o desenvolvimento local.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.