Para combater o impacto da inflação …

Segundo o IBGE, em 2015 o índice de inflação fechou em 10,67%, o maior desde 2002 e tem assustado os brasileiros. A situação nos faz ter mais certeza de que precisamos nos atentar às práticas de economia, e por que não começarmos em casa? É fundamental uma interação familiar, ou seja, todos precisam saber em que fase a família está vivendo, ainda que passageira, mas enquanto durar, todos precisam “apertar os cintos”. É preciso ter consciência, disciplina inclusive as crianças. Por exemplo, minha filha de 3 anos ainda não sabe o que é finanças, mas sabe que precisa apagar a luz e não desperdiçar água porque está gastando dinheiro.

É importante anotar tudo que se ganha e tudo que gastam. Pode parecer óbvio, mas poucos fazem isso de verdade. Depois te tudo anotado, será possível então identificar onde começar a redução de gastos. Para cada despesa existe uma forma diferente de economizar. A partir daí, novos hábitos começarão a ser adaptados e o comportamento em relação ao uso e à administração do dinheiro será diferente, uma vez que estamos sendo “forçados” à diminuir gastos para acompanhar o aumento dos preços dos produtos, dão tal impacto da inflação na nossa vida.

Os gastos de energia elétrica são um dos que mais apresentam excessos; quanto tempo você deixa o chuveiro ligado? E as luzes ou até mesmo a geladeira aberta? Sem contar no uso de televisão e de computador. Fique atento! Cada vez haverá mais rigor (aumento de preço) sobre o uso de energia. Muita atenção nesta conta, compartilhe com todos que passam um tempo na sua casa, inclusive com quem trabalha por lá.

O uso de telefone também deve ser repensado.  A dica é que você reveja o quanto paga pelo menos 1x por ano e negocie sempre, veja os concorrentes e se preciso for pare um tempo para ligar para estas operadoras.

Priorize a reciclagem. Além do efeito positivo para o meio ambiente, sem dúvida é outra fonte de economia. Evite compras por impulso, é possível recuperar roupas, eletrônicos, etc.

Opções de lazer gratuitas são sempre válidas. Como parques e praças, por exemplo, além de ser uma economia, ainda pode fazer bem pra sua saúde. Que tal um piquenique no parque, garanto que será um tempo de qualidade com sua família.

Existe um padrão que deveríamos seguir:
1° Renda / 2° Poupança / 3° Padrão de vida, seja ele qual for, mas sempre depois de poupar.

Não coloque seu padrão de vida antes da poupança, senão ele pode (geralmente vira) virar um gerador de dívida.

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.