Consórcio. Isso vale a pena mesmo?

PostsFacebooDiogo_Semana2_04-2016_01-4

Sendo bem honesto? A resposta é não.

Para muitos, o consórcio pode ser uma forma de realizar um sonho. É uma prática muito comum, uma vez que se propõe a ser uma alternativa barata para financiar imóveis, automóveis, viagens e, hoje em dia, até produtos de beleza.  Quando um grupo de pessoas interessadas em comprar um bem material pagando cotas individuais configura-se consórcio. E eles são variados em prazos e créditos, facilitando para quem tem interesse, escolher qual valor mensal não prejudica seu orçamento. E em forma de “sorteio”, mês a mês os participantes são contemplados com aquele bem que estão pagando.

O que precisamos considerar é que os bancos e as empresas que administram consórcios, precisam se assegurar que terão o dinheiro do bem que está sendo oferecido. É fato que nem todos que começam pagando, vão até o final, e a empresa precisa garantir a quem pagou tudo, receba o produto consorciado. Sendo assim, as administradoras crescem uma porcentagem (que varia muito) no valor do bem contratado. Você pode demorar uns dois anos, por exemplo, para receber o produto e precisa saber que o valor desse bem terá sido alterado. Um carro, por exemplo, não vale o mesmo tanto com o passar do tempo.

Quem vende o consórcio, muitas vezes não deixa claro o valor dos juros aplicados sobre aquela carta e você pode acabar financiando um valor muito mais alto do que pagaria se aplicasse o dinheiro, deixasse-o render e depois comprasse o bem desejado. Entendem a diferença? Se for para esperar em um consórcio, pagando juros, talvez seja melhor render o dinheiro e pagar á vista. Ai você pode me questionar falando que não é tão simples comprar uma casa à vista. Claro que não é e eu concordo com você. Só não podemos desconsiderar os juros aplicados sobre o bem, uma vez que você tem outras formas de”escapar” deles. Muitas vezes os juros sobre as parcelas do consórcio saem mais caro do que se você pegar um empréstimo, caso não possa esperar para pagar à vista.

Outro ponto negativo, mas que não é muito comentado, é que você precisa de um montante maior de dinheiro para dar o famoso “lance”, caso queria “antecipar” sua contemplação. Sem contar que na maioria dos casos, não há abatimento caso você queria quitar a dívida. Ou seja, não é a melhor opção para os que usam como forma de financiamento e podem dar um lance, quanto mais para os que precisam esperar até serem contemplados.

Consórcio não pode ser considerado como poupança, já que você não é remunerado, pelo contrário, você remunera o banco e muito menos investimento, até porque sua parcela pode subir a qualquer momento.

Eu sei que muita gente precisa de um consórcio pra conseguir poupar $, mas minha sugestão seria pegar um financiamento, por exemplo,  que os juros são normalmente mais baixos. Considerando o tempo financeiro em que vivemos, não é bom ter nenhuma dívida que seja corrigida além da taxa contratada.

Minha intenção com este post é que você repense suas alternativas e, sobretudo, reflita antes de tomar qualquer decisão que envolva dinheiro. Cuide da sua grana!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.